FNP
Área restrita
aos Associados

Categoria protesta na porta da refinaria e vereadores criam CEI para investigar redução de efetivo

Categoria protesta na porta da refinaria e vereadores criam CEI para investigar redução de efetivo

Um dia após apagão

Categoria protesta na porta da refinaria e vereadores criam CEI para investigar redução de efetivo

Um dia após a explosão na UTE Euzébio Rocha, que interrompeu o fornecimento de energia na termelétrica e na Refinaria Presidente Bernardes de Cubatão, os petroleiros e petroleiras das duas unidades amanheceram de braços cruzados nesta terça-feira (8). Em virtude do acidente, que gerou apreensão e uma série de transtornos e riscos aos trabalhadores da empresa, o protesto também envolveu os empregados do regime administrativo. Nos grupos de turno, em função da redução de efetivo, os atrasos antes do início do expediente já acontecem há aproximadamente um mês.

No período da tarde, coube aos petroleiros do grupo 2 da RPBC se deslocarem a pé, da barraca montada pelo Sindicato em frente ao prédio administrativo da refinaria, até a Câmara de Vereadores de Cubatão, que fica no centro da cidade. A categoria compareceu em peso à sessão em que foi instaurada a Comissão Especial de Inquérito (CEI). Aprovada por unanimidade pelos vereadores, caberá a esta comissão apurar a denúncia do Sindipetro-LP sobre os riscos que a redução do quadro efetivo da Refinaria Presidente Bernardes (RPBC) irá causar para a comunidade, trabalhadores  e para a própria empresa.

No acidente da última segunda-feira (7) ficou evidente o erro criminoso da empresa em reduzir o efetivo de operadores à revelia das ponderações e alertas das entidades sindicais. Uma tragédia só não ocorreu por uma feliz coincidência. Por conta de um curso de NR-20, o número de operadores presentes na unidade no momento da explosão era maior que o imposto pela empresa através da redução de efetivo. Esses trabalhadores tiveram que interromper o curso para se deslocar até a área, medida fundamental para que uma série de problemas, como vazamentos e princípios de incêndio fossem rapidamente combatidos.

Ou seja, está claro que a redução imposta pela empresa tem como única motivação a redução de custos, a transformação da Petrobrás em uma empresa atrativa ao mercado.

Confira no vídeo abaixo a reportagem da Rede Record sobre o protesto desta terça-feira


Confira no vídeo abaixo a participação e presença dos petroleiros na sessão da Câmara

Comentários