FNP
Área restrita
aos Associados

EXPLOSÃO GERA APAGÃO E PARADA EMERGENCIAL EM TERMOELÉTRICA E REFINARIA

EXPLOSÃO GERA APAGÃO E PARADA EMERGENCIAL EM TERMOELÉTRICA E REFINARIA

Cubatão

EXPLOSÃO GERA APAGÃO E PARADA EMERGENCIAL EM TERMOELÉTRICA E REFINARIA

 A explosão em uma subestação de energia da UTE Euzébio Rocha, por volta das 18h45 desta segunda-feira (7), em Cubatão, provocou o apagão completo por mais de meia hora da termoelétrica e também da Refinaria Presidente Bernardes.

Todas as unidades tiveram o seu funcionamento completamente paralisado. Segundo relatos da força de trabalho, houve vazamento de amônia na UFCC e incêndio no Coque 1 em virtude de um vazamento de gasóleo RV.

As indústrias de fertilizantes de Cubatão também tiveram unidades paralisadas, uma vez que o abastecimento de gás foi afetado pelo acidente. A explosão foi ouvida por quem passava perto da Companhia Brasileira de Estireno, que fica a aproximadamente um quilômetro de distância.

Quando os dirigentes do Sindipetro-LP, Fabio Mello e Marcelo Juvenal, chegaram à unidade a energia já havia sido restabelecida, no entanto era visível ainda as consequências da explosão. Além disso, era intensa a movimentação das viaturas do SMS e da Brigada de Emergência da companhia. Técnicos da Cetesb também se deslocaram até à refinaria.
 

Contando com a sorte
Mais uma vez, foi necessária uma boa dose de sorte para que uma tragédia não tenha acontecido. Coincidentemente, por conta de um curso de NR-20, o número de operadores presentes na unidade no momento da explosão era maior que o imposto pela empresa através da redução de efetivo.

Entretanto, mais uma vez alertamos a empresa de que essas coincidências não acontecem sempre. É um crime esperar a sorte para que acidentes ampliados não aconteçam.

Além disso, fica claro que o "estudo" da empresa não leva em consideração situações emergenciais como a registrada hoje, nas quais acontece a paralisação emergencial de todas as unidades de processo - provocada pelo chamado efeito cascata seguido de incêndio. No mundo ideal e fantasiado da direção, não trabalhamos numa unidade operacional repleta de equipamentos e substâncias perigosas, mas sim no mesmo escritório administrativo, confortavelmente climatizado, que esses senhores tomam decisões que colocam vidas em risco.

Até o momento a empresa sequer comunicou o sindicato sobre o acidente. Nesta terça-feira (8), será mais um dia protesto na porta da refinaria contra a redução de efetivo. Mais do que nunca, a mobilização da categoria é fundamental.

Comentários